O envelhecimento muda não só a mente de uma pessoa, mas também seu corpo e, no caso dos homens, influencia diretamente a qualidade de sua vida sexual. Estudos apontam que metade dos homens enfrentam problemas de ereção após os 50 anos.

Elevado, esse percentual indica a importância de que os homens, nesta faixa etária, fiquem atentos aos problemas de ereção, embora muitos deles ainda se neguem a procurar tratamento médico por vergonha em admitir que algo não vai bem exatamente neste ponto de suas vidas.

No entanto, vencer a vergonha e o preconceito é o primeiro passo para enfrentar e resolver os problemas de ereção após os 50 anos. Nosso corpo envelhece, e é preciso aprender a conviver com essa nova fase e contornar os desafios que surgem de acordo com o avançar da idade.

Por isso, para ajudar os homens que estão enfrentando problemas de ereção e ainda relutam em procurar um médico, elaboramos um texto para mostrar que esse problema é sério e que deve ser tratado.

E, principalmente, ter vergonha de sofrer com problemas no quarto não é algo que possa ser encarado como o fim do mundo. Pelo contrário. Isso é mais comum do que se imagina, e acontecerá com todos os homens, em algum momento de sua vida.

50% dos homens enfrentam problemas de ereção após os 50 anos

Entenda os problemas de ereção após os 50 anos

Os problemas de ereção são mais comuns do que muitos homens acreditam ou querem admitir. Após iniciar sua vida sexual, todo ser humano do sexo masculino terá de se deparar, em algum momento, com uma brochada.

Isso é normal e esperado. Entretanto, quando ela se torna frequente, requer atenção e tratamento médico. Por frequente, os médicos entendem mais de quatro episódios dentro de um espaço de um mês.

Ter problemas de ereção depois dos 50 anos realmente é algo embaraçoso, que pode até mesmo prejudicar os relacionamentos, principalmente para quem está começando um novo casamento ou iniciando um namoro, mas não é o fim do mundo.

Pode parecer difícil o que vamos contar aqui mas, se você está passando por isso, acredite, você não é o único. No mundo inteiro, cerca de 155 milhões de homens enfrentam algum tipo de problema de ereção. No Brasil, os problemas de ereção afetam cerca de 10 milhões de pessoas.

A boa notícia aqui é que, dos homens que tem algum tipo de problema para atingir uma ereção durante o sexo, apenas 10% tem problemas graves e que precisam de tratamentos sérios.

Causas da dificuldade de ereção após os 50 anos

Embora, depois dos 50 anos, as doenças crônicas comecem a se tornar um problema sério e comprometam sua qualidade de vida e possam se agravar, a maior parte dos problemas de ereção são causados por fatores emocionais.

Isso acontece porque, boa parte dos homens que estão nessa fase da vida, estão começando novos relacionamentos com pessoas mais jovens. Como sabemos, é depois dos 40 anos que a maior parte dos divórcios acontecem.

Quando começam a se relacionar com pessoas mais jovens, muitos homens acima dos 50 anos enfrentam uma série de inseguranças relacionadas principalmente ao seu desempenho sexual.

É comum que esses homens se questionem se serão capazes de satisfazer parceiros mais jovens, e como lidar com o envelhecimento de seus corpos, a queda da libido, comum nesta fase da vida e, principalmente, a diminuição na energia que muitos acabam sofrendo naturalmente.

Cigarro e álcool

Em outros casos, os homens com mais de 50 anos acabam desenvolvendo problemas de ereção por manter hábitos ruins, como o fumo ou o consumo excessivo de álcool.

No caso do cigarro, esse hábito acaba prejudicando a performance sexual destes homens por causa das substâncias contidas no produto, dentre elas a nicotina. Quando combinadas, elas acabam endurecendo as artérias e dificultando a passagem do sangue por elas e sua chegada até o órgão sexual.

Como a ereção é consequência da irrigação de sangue no pênis, essa obstrução prejudica o endurecimento do órgão sexual, levando à ereção.

Já no caso do álcool, o excesso de bebida prejudica o desempenho sexual por causa de seu efeito no sistema nervoso central. O álcool tem efeito depressor, levando todos os músculos do corpo a relaxar. Isso inclui os músculos do pênis.

Como tudo está relacionado, o álcool em excesso acaba relaxando também os músculos do pênis, que não conseguem ficar rígidos o suficiente para alcançar ou manter uma ereção. Ou seja, para os homens acima de 50 anos, beber para relaxar antes de ir para a cama é uma péssima ideia, porque você irá relaxar aquilo que não gostaria.

Obesidade

Depois dos 30 anos, tanto homens quanto mulheres começam a experimentar uma desaceleração considerável em seu metabolismo. O que significa que, nessa faixa etária, perder peso fica mais difícil.

Em contrapartida, o ganho de peso fica muito mais fácil. Tanto que é comum vermos homens acima de 50 anos acima do peso e com aquela famosa barriguinha. O que é considerado um sinal de charme para alguns deve ser visto com muito cuidado por quem está enfrentando problemas de ereção.

Isso porque o sobrepeso e a obesidade podem favorecer o surgimento destes problemas, pois em alguns casos o acúmulo de gordura prejudica o desempenho masculino, deixando-os mais cansados.

Doenças crônicas

A faixa dos 50 anos marca, também, o aparecimento dos sintomas de doenças crônicas que, por anos, comprometeram a saúde destes homens. O aparecimento de problemas como a hipertensão e o colesterol elevado cobram um preço alto no corpo.

Essas enfermidades contribuem, por exemplo, para o aparecimento de doenças cardiovasculares, diminuindo a capacidade que o músculo cardíaco tem de bombear sangue para o corpo, dificultando a irrigação do órgão sexual e prejudicando a qualidade e a duração das ereções.

O colesterol provoca, também, a obstrução das veias e artérias de todo o corpo, e não só aquelas que estão perto do coração. Com os vasos penianos obstruídos, ter uma ereção é praticamente impossível.

Por isso, para os homens com mais de 50 anos e com problemas de ereção, é importante buscar ajuda médica e manter hábitos mais saudáveis.