Lidar com problemas de ereção causa um constrangimento enorme em muitos homens, principalmente nos mais jovens, que estão começando agora sua vida sexual, ou até mesmo quem está entrando em uma relação e não quer decepcionar o parceiro.

Apesar disso, é preciso compreender que os problemas de ereção são comuns, e vão acontecer em algum momento de sua vida. Seja por medo, por insegurança ou mesmo pelo passar da idade, você vai acabar falhando, isso é um fato.

Falhar, aliás, é normal, e não deve jamais ser encarado como uma sentença de morte se acontecer de forma esporádica. A dificuldade para alcançar uma ereção se torna séria apenas quando se torna recorrente.

Por exemplo, quando é difícil ter ereções em mais de duas relações ao mês, é hora de deixar a vergonha de lado e buscar ajuda para acabar com a questão. Sem tratamento, os problemas de ereção são capazes de minar a autoconfiança e prejudicar os relacionamentos de um homem.

No entanto, quando pensamos em impotência sexual, ou mesmo comentamos com aquela pessoa de total confiança, o primeiro conselho que recebemos é de buscar ajuda médica.

Mas, você sabia que existem alguns sinais que ajudam a identificar que o problema está ali, antes mesmo de você procurar o médico? Não? Então esse texto é para você.

Mostraremos aqui o que é preciso para que você possa responder à seguinte pergunta: como saber se tenho problemas de ereção e, assim, buscar as soluções para esse incidente.

Como saber se tenho problemas de ereção – Saiba identificar do início

Quando falhar é considerado um problema de ereção?

Os problemas de ereção acontecem quando o homem não consegue manter seu pênis ereto durante uma relação sexual. Mesmo causando enorme desconforto e muito constrangimento, é importante saber que os problemas de ereção são relativamente comuns.

Para que se tenha uma ideia, mundialmente, 12% dos homens abaixo dos 60 anos podem ter problemas de ereção em algum momento de sua vida. Já para os maiores de 70 anos, o risco é maior, de 30%.

Apesar desses índices relativamente altos, não é preciso perder o sono a cada vez que você falhar, pensando se há algo de errado com seu corpo. Algumas vezes, o homem simplesmente não está empolgado o suficiente. E isso dificulta muito ter um bom ato sexual.

Como saber se tenho problemas de ereção?

Conforme comentamos, falhar é algo absolutamente normal e que, assim como a chuva, vai acontecer um dia. Todo homem vai falhar. Mas isso não significa que, quem falha, obrigatoriamente sofre de algum problema de ereção.

Geralmente, os homens só são considerados impotentes quando o problema aparece com muita frequência, como em quatro vezes dentro de um único mês.

Aqui é preciso buscar ajuda médica. Mas, você sabia que existem outros sinais que podem te ajudar a ter certeza se algo está mesmo errado antes de ir ao médico?

Preste atenção nos indícios que traremos abaixo. Se algum ou a maioria deles der positivo, deixe a vergonha de lado e procure um bom urologista. Ele vai lhe ajudar a enfrentar o problema e viver sua sexualidade em toda plenitude.

Incapacidade em conseguir e manter uma ereção

Este é, sem dúvida, o sinal mais claro de que um problema de ereção está acontecendo: a incapacidade de obter uma ereção. Aqui, não importa o quanto seu parceiro o estimule ou quanto você queira aquela relação. Nada disso é capaz de provocar a tão esperada ereção.

Já em alguns casos a ereção até acontece, mas por muito pouco tempo. Em geral, em questão de minutos o pênis retorna ao estado flácido. Esses eventos podem ser acompanhados de ejaculação precoce.

Como saber se tenho problemas de ereção – Saiba identificar do início

Demora em conseguir a ereção

Para alguns homens, o problema não é conseguir uma ereção, e sim quanto tempo será necessário para chegar até lá. Às vezes, demora tanto que o outro parceiro desiste.

Ou, em muitos casos, tentar uma posição nova pode ser ainda pior, já que essa mudança contribui para que a demora aumente ainda mais.

Ereção muito pequena ou insuficiente

Um sinal de alerta para os problemas de ereção é sua qualidade. Em muitos homens que sofrem de impotência, a ereção até acontece, mas o sangue que chega ao pênis é em quantidade tão insuficiente que ela é muito pequena.

O que isso quer dizer? Que a irrigação é incapaz de aumentar consideravelmente o volume do pênis e deixá-lo totalmente rígido. Quando isso acontece, você tem a sensação de que ele simplesmente parou no meio do caminho. Ou seja, não amoleceu, mas também não endureceu.

Ejaculação precoce

Homens que sofram de ejaculação precoce precisam ficar atentos para os problemas de ereção. Isso porque esses dois distúrbios podem estar relacionados.

Ou seja, um homem que tenha uma ereção parcial ou consiga uma ereção de baixa qualidade pode ejacular rapidamente, prejudicando ainda mais a qualidade de sua relação sexual.

Ausência de ereções espontâneas

Sabe aquelas ereções que acontecem simplesmente do nada? Como de manhã ou enquanto você está dormindo, por exemplo?

Embora sejam um tanto constrangedoras em algumas situações, elas são perfeitamente normais, e indicam que seu corpo está funcionando muito bem e, principalmente, que não há nada de errado com sua saúde sexual.

O problema aqui está em quando essas ereções simplesmente não acontecem, ou acontecem com menos frequência. Se isso está acontecendo com você, fique de olho.

Não conseguir uma ereção com outros parceiros

Algumas vezes, homens com mais de um parceiro sexual podem sentir mais dificuldades em conseguir uma ereção com estas outras pessoas.

Além de limitar sua vida sexual, quando esse problema se torna recorrente acaba indicando que há algo de errado, prejudicando não só seus relacionamentos como também sua autoestima.

Outros sinais

Além dos eventos que destacamos acima, e que são facilmente identificáveis por um homem em seu dia a dia, existem alguns sintomas que podem ser notados por uma pessoa mais atenta.

Embora não façam, oficialmente, parte dos sintomas relacionados aos problemas de ereção, eles podem estar relacionados a ele. Então, fique de olho se perceber os seguintes eventos:

Curvatura acentuada do pênis, redução de pelos corporais, atrofia ou ausência dos testículos e crises de ansiedade.