Para muitos jovens, sofrer com disfunção erétil adolescência é impensável. Aliás, é impossível, porque para eles, que estão começando sua vida sexual agora, quem sofre com problemas de ereção são os mais velhos. Mais exatamente homens na casa dos 40 anos.

Esses adolescentes, por acreditar que estão blindados dos problemas de ereção por causa de sua juventude, ficam completamente perdidos quando falham, sem saber o que fazer, o que pensar e o que dizer para si mesmos e para o outro.

Por isso, é importante deixar muito claro que, embora sejam bastante raros, os problemas de ereção na adolescência não apenas existem e acontecem como precisam de atenção para que os fatores que estejam causando o distúrbio sejam diagnosticados corretamente.

Você conhece algum adolescente que esteja vivenciando essa situação? O problema é com você? Você também faz parte do contingente de jovens que simplesmente não compreende porque acontecem os distúrbios de ereção durante a adolescência? Então esse texto é para você.

Separamos aqui tudo o que você precisa saber para enfrentar essa situação de frente, sem se abater.

Disfunção erétil adolescência – ela pode acontecer?

O que pode causar disfunção erétil adolescência?

Conforme reforçamos aqui, em vários parágrafos da abertura desse texto, os problemas de ereção na adolescência são possíveis, embora bastante incomum. Por isso, eles despertam um desconforto ainda maior nesses jovens, que precisam lidar também com o amadurecimento de seus corpos.

Um ponto positivo que precisa ser considerado é que, nesta faixa etária, os tratamentos para resolver os problemas de ereção são muito mais eficazes, podendo até mesmo acabar de vez com essa questão em pouquíssimo tempo.

Mas, antes de abordar quais são esses tratamentos, é importante mostrar os fatores que podem desencadear tais eventos em pessoas tão jovens.

Influência psicológica

Para os adolescentes, boa parte dos problemas de ereção estão ligados a problemas psicológicos. Isso acontece porque é nessa fase que eles estão se descobrindo, aprendendo o que de fato gostam e testando novas formas para se aperfeiçoar no sexo.

Por isso, nesta faixa etária, a ansiedade é uma das grandes causadoras dos problemas de ereção, que tendem a aparecer com muita frequência nas primeiras relações sexuais.

Com essa idade, boa parte dos homens tiveram poucas relações sexuais, por isso se sentem inseguros e muito ansiosos com seu desempenho. Aliás, a cobrança é tanta que eles acabam falhando, decepcionando não só seus parceiros, mas principalmente a si mesmos.

Além disso, problemas financeiros ou até mesmo acadêmicos, relativamente comuns nesta fase em que os jovens estão iniciando suas carreiras e se empenhando muito para concluir os estudos ou ainda estão em dúvida sobre o que esperam para o seu futuro. Tudo isso acaba prejudicando a vida sexual de um homem.

Quando as cobranças educacionais se aliam às cobranças na vida sexual, a pressão é tamanha que muitos jovens acabam tendo problemas de ereção, agravando seu estresse e a frustração que esses dois setores acabam provocando.

Na adolescência é muito comum também que os jovens lidem com a depressão, doença que pode desencadear problemas de ereção, principalmente quando não é tratada corretamente.

No entanto, mesmo quando é tratada, a depressão precisa ser acompanhada com atenção. Isso porque alguns medicamentos utilizados podem agravar a situação.

Influência química

Durante a adolescência, muitos jovens sofrem com problemas de ereção originários, principalmente, pelo uso de drogas recreativas, como a maconha, e o consumo excessivo de álcool.

Isso acontece porque, no caso das bebidas alcoólicas, a substância deprime o sistema nervoso central, relaxando todos os músculos do corpo, incluindo também o pênis.

Mesmo que seu pênis esteja bem irrigado, o jovem que bebeu mais do que devia não conseguirá obter ou até mesmo manter uma boa ereção, já que os músculos de seu órgão estão completamente relaxados.

Já para as drogas, o problema acontece pela alteração da química do organismo provada por elementos presentes, por exemplo, na cocaína. É comum, aliás, que esses produtos prejudiquem a circulação sanguínea, dificultando a ereção.

Por isso, esses jovens precisam acompanhar atentamente os efeitos que o excesso de álcool e o uso de substâncias químicas pode causar no organismo.

Algumas delas danificam os vasos sanguíneos que irrigam todo o corpo, causando impotência, sobretudo em usuários de longa data.

Influência física

Embora sejam mais raros do que nos homens com mais de 40 anos, a influência física do meio ambiente pode provocar problemas de ereção.

Como exemplo, podemos citar doenças cardíacas, diabetes do tipo 2 ou, ainda, a hipertensão, especialmente quando não tratadas.

Além disso, seu estilo de vida pode favorecer o aparecimento de problemas de ereção ainda na adolescência. Obesidade e sedentarismo, um dos grandes males desta fase da vida, podem conduzir para problemas cardíacos quando cheguem à vida adulta, provocando dificuldades de ereção.

Dúvidas sobre sua própria sexualidade

E quando as dificuldades de ereção estão muito mais presas à problemas na mente do que no corpo? O que dizer quando a preocupação excessiva com um determinado tema paralisa todas as suas esferas, incluindo a sexual?

Nessa fase, é comum que dificuldades em aceitar sua própria sexualidade sejam tão intensas que tornem praticamente impossível alcançar uma boa ereção.

Como tratar a disfunção erétil em adolescentes?

Quando um homem jovem, com menos de 18 anos, ainda na adolescência, começa a lidar com a impotência sexual, é preciso empregar rapidamente um tratamento que se encaixe com seu estilo de vida.

Aliás, nesse período, a resposta costuma ser muito positiva e dada em tempo recorde, tornando o combate aos problemas de ereção uma ótima pedida para os mais moços.

No, entanto, isso não elimina a necessidade de que esse jovem busque ajuda médica especializada. O cuidado, aliás, é importante para que não sejam apresentadas sequelas permanentes. Ou seja, aqui é fundamental procurar seu médico após os primeiros sintomas.

Além disso, durante a conversa, é preciso refletir sobre os problemas que desencadeiam a doença e como lidar com cada uma delas. Por exemplo, quem consome muito álcool ou drogas, é preciso ouvir sua consciência e buscar internamente a força para mudar de vida.

Agora, quando os problemas de saúde são desencadeados pelo uso de medicamentos controlados, é importante procurar o seu médico e relatar o problema.

Juntos, vocês encontrarão boas alternativas para  não interromper tratamentos importantes e ainda ser capaz de realizar seu sonho de ser um bom pai.

Disfunção erétil adolescência – ela pode acontecer?
4.7 (94%) 10 voto[s]