O que pode ser feito para prevenir ou reduzir esses efeitos colaterais? Os efeitos colaterais sexuais dos antidepressivos são comuns em homens e mulheres, por isso sua preocupação é compreensível. Os efeitos em sua função sexual podem incluir o seguinte:

  • Alteração do desejo sexual
  • Disfunção erétil
  • Problemas com orgasmo
  • Problemas de excitação, conforto e satisfação.

A intensidade dos efeitos colaterais sexuais depende da pessoa, bem como do tipo específico e dose do antidepressivo. Para algumas pessoas, os efeitos colaterais sexuais não são importantes ou são aliviados à medida que seus corpos se ajustam à medicação; para outros, por outro lado, os efeitos colaterais sexuais continuam a ser um problema.

Disfunção erétil antidepressivo menos agressivo

Antidepressivos que têm a menor taxa de efeitos colaterais sexuais como problemas de ereção são os seguintes:

– Bupropiona (Wellbutrin, Aplenzin, Forfivo XL)

– Mirtazapina (Remeron)

– Vilazodona (Viibryd)

Os antidepressivos com maior probabilidade de causar efeitos colaterais sexuais como disfunção erétil são:

– Inibidores seletivos da recaptação (SSRI) , tais como citalopram (Celexa), escitalopram (Lexapro), fluoxetina (Prozac, Selfemra), paroxetina (Paxil, Pexeva) e a sertralina (Zoloft).

– Inibidores seletivos da recaptação de serotonina e norepinefrina (SNRIs) tais como venlafaxina (Effexor), desvenlafaxina (desvenlafaxina, Khedezla) e duloxetina (Cymbalta).

– Antidepressivos tricíclicos e tetracíclicos, como amitriptilina, nortriptilina (Pamelor) e clomipramina (Anafranil).

– Inibidores da monoamina oxidase (MAOI), tais como isocarboxazida (Marplan), fenelzina (Nardil) e tranilcipromina (Parnate). No entanto, a selegilina (Emsam), um novo inibidor da monoamina oxidase que adere à pele como um adesivo, tem um baixo risco de efeitos colaterais sexuais.

O que fazer quando o antidepressivo causa disfunção erétil

Se você estiver tomando um disfunção erétil antidepressivo que causa efeitos colaterais sexuais, o médico pode recomendar uma das seguintes estratégias:

– Espere várias semanas para ver se os efeitos colaterais sexuais melhoram.

– Ajuste a dose do seu antidepressivo para reduzir o risco de efeitos colaterais sexuais. No entanto, verifique sempre com o seu médico antes de alterar a dose.

– Mude para outro antidepressivo que pode ser menos provável de causar efeitos colaterais sexuais como problemas de ereção.

– Adicione um segundo antidepressivo ou outro tipo de medicação para neutralizar os efeitos colaterais na sexualidade. Por exemplo, adicionar o antidepressivo bupropiona ou a medicação para ansiedade buspirona pode aliviar os efeitos secundários causados ​​por outro antidepressivo.

– Adicionar um medicamento para melhorar a função sexual, tais como sildenafil (Viagra, Revatio), tadalafil (Adcirca, Cialis) ou vardenafil (Levitra, Staxyn). Estes medicamentos são autorizados pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos apenas para o tratamento de problemas sexuais masculinos. Poucos estudos sugerem que o sildenafil poderia melhorar os problemas sexuais causados ​​por antidepressivos em algumas mulheres, mas é necessário reunir mais informações sobre sua eficácia e segurança nelas.

O que vem primeiro?

É importante saber que a depressão por si só pode causar alterações na função sexual de uma pessoa. Estima-se que uma em cada duas pessoas com depressão e que não tenha sido tratada sofra alguma alteração em sua função sexual. Mas, por outro lado, uma pessoa com depressão que começa a receber tratamento para sua condição pode desenvolver alguma alteração em sua função sexual como efeito colateral da medicação. Como saber o que aconteceu primeiro?

Antes de iniciar um tratamento, recomenda-se que o profissional médico sempre avalie a função sexual de seu paciente. Se essa for afetada, é importante que você tente encontrar o motivo. Entre eles poderia estar a idade, a ingestão de medicamentos, drogas ou álcool. Obviamente, essas causas devem ser tratadas paralelamente ao uso de medicamentos antidepressivos.

Interromper medicamentos devido a efeitos colaterais sexuais é um problema frequente e, para a maioria das pessoas, isso significa que a depressão reaparece. Fale com seu médico para encontrar um antidepressivo eficaz ou uma combinação de medicamentos que reduza os efeitos colaterais sexuais, mas mantenha sua depressão sob controle.

Os custos sociais e econômicos da depressão são enormes: causam isolamento, menor produtividade e maior absenteísmo no trabalho; aumento do risco de suicídio e doenças cardíacas e aumento do uso de drogas, cigarros e álcool. É por isso que a depressão deve ser tratada seriamente, com a psicoterapia e o uso de medicamentos como base para o tratamento. Seja paciente porque, como cada pessoa reage de maneira diferente aos antidepressivos, pode ser necessário experimentar os tratamentos até encontrar o que funciona melhor para você.