Embora muitos homens prefiram não mencionar a disfunção erétil, é importante fazer isso, especialmente se forem diabéticos. Diabetes pode fazer um homem desenvolver impotência muitos anos antes do que outros homens. Como? Continue lendo para você saber.

Você provavelmente está se perguntando, o que o açúcar no meu sangue tem a ver com a minha vida sexual? Por mais absurdo que pareça a ideia, tem muito a ver disfunção erétil e a diabetes. Lembre-se que o sangue viaja e toca todas as partes do seu corpo e pela mesma razão, o açúcar que viaja também.

Mas o assunto é um pouco mais complexo que isso. Quando os níveis de glicose no sangue estão altos por um longo tempo e você não controla sua diabete da maneira certa, pouco a pouco a glicose vai afetando os nervos de várias partes do corpo. Os nervos são os que comunicam seu cérebro com o resto do corpo para que você se sinta, se mova, reaja etc. Quando o diabetes começa a afetar os nervos, essa complicação é chamada de Neuropatia Diabética.

Como a diabete se relaciona com a sua vida sexual?

Todos os órgãos sexuais têm nervos. Graças a eles o cérebro recebe sensações de prazer através da pele e ordena que reajam de certa forma, seja com lubrificação, com uma ereção que também depende da circulação estar em boas condições, tudo que permita que você desfrute de uma relação sexual ao máximo.

Se a diabetes afeta seus nervos, o que acontece é que várias vezes o cérebro não recebe bem as informações enviadas pelos órgãos sexuais ou não recebe adequadamente as ordens enviadas pelo cérebro. Portanto, é comum que alguns homens e mulheres com diabetes e neuropatia diabética também tenham problemas sexuais, como dificuldade em se excitar ou atingir um orgasmo.

No caso dos homens, o que acontece mais comumente é a disfunção erétil. Mesmo em algumas idades, quando não é tão comum, até 10 ou 15 anos antes de quando os problemas de ereção é um risco real para muitos homens que não têm diabetes.

Isso significa que, mesmo que você tenha um alto nível de excitação e que todo o seu corpo esteja disposto a ter um relacionamento sexual, seu pênis não responde e você não pode manter uma ereção ou simplesmente não conseguir.

O que fazer em casos de disfunção erétil e a diabetes?

Primeiro de tudo, tudo começa com a prevenção. Se você é um homem diabético, não se esqueça de cuidar de sua doença todos os dias, observando seus níveis de glicose constantemente, tomando cuidado com sua dieta, exercícios e seus remédios. Ao manter o diabetes sob controle, você reduz o risco de danos aos nervos, ou pelo menos ajuda que isso não aconteça tão rápido.

Em segundo lugar, o médico pode recomendar medicamentos para tratar os problemas de ereção, como Viagra, Levitra ou Cialis. Quando os remédios são contraindicados no seu caso, porque você tem cardiovascular ou por alguns outros problemas, ele pode recomendar alguma outra opção (há uma gama de tratamentos: injeções locais, até a cirurgia).

Boas notícias ou más notícias?

Tudo depende de você. O diabetes pode ser controlado e, a partir de então, você pode evitar ou retardar as complicações por muitos anos. Da neuropatia diabética a problemas sexuais, como a disfunção erétil. Essas são excelentes notícias! Se você fizer a sua parte, você não terá que se preocupar com isso e você pode continuar a desfrutar da sua vida sexual com o mesmo desempenho de sempre.

Obviamente, a disfunção sexual pode ser devida a vários fatores. A neuropatia diabética é uma delas. Boa circulação em diabéticos e não diabéticos também é importante para evitar a disfunção erétil.

Comece o quanto antes fazer caminhadas pelo menos 3 vezes na semana, dê preferência sempre a legumes e tome a medicação nos horários certos. A principio, pode parecer um pouco trabalhoso, mas se você lembrar que está cuidando da sua saúde descobrirá que vale a pena.

Mesmo que você já tenha problemas de impotência hábitos saudáveis faram bem para seu corpo em geral, independente de qualquer situação.

5.0
03