A função erétil depende diretamente de fatores como saúde cardiovascular ou doenças crônicas. No entanto, muitos homens acabam por experimentar problemas de ereção quando têm dificuldades de intimidade com o parceiro. Há uma grande importância de consultar um especialista e conhecer a causa do problema.

É muito difícil obter estatísticas confiáveis ​​sobre a intimidade e é ainda mais difícil estabelecer “leis gerais” que regulem a vida sexual.

É que há uma infinidade de fatores que influencia na intimidade. No entanto, a experiência no tratamento das disfunções sexuais nos permite compreender melhor alguns aspectos que, por terem sido ocultados por muito tempo, geram mitos e fantasias que afetam tanto a saúde quanto a vida afetiva.

Disfunção erétil e traição estão associadas

Disfunção erétil e traição são apenas duas áreas atormentadas por mitos sobre masculinidade e relacionamentos. Alguns estudos realizados, como o publicado em julho de 2011 por um grupo de pesquisadores da Universidade de Indiana, nos EUA, confirmaram certa tendência de homens com dificuldades em conseguir uma ereção tentarem outro parceiro para “experimentar”, com a ilusão de “confirmar sua masculinidade”. Isso faz com que os homens com problemas de ereção tenham uma tendência à infidelidade 6% acima do resto.

Na verdade, isso parece mais fácil do que supor que disfunção erétil e traição estão associadas, mas na grande maioria dos casos esse comportamento não resolve o problema, mas o confirma.

Quando eles arranjam um par vinte anos mais jovem, bonito, e você vê que isso não importa, é enorme o despontamento, porque eles não têm ideia do que está acontecendo e tudo o que fica claro é que há um problema. Isso começa enlouquecer o homem, porque há muito mito por trás da masculinidade, que para o homem é difícil falar seriamente sobre isso.

Segundo dados extraídos da análise de prontuários de aproximadamente 3 mil pacientes atendidos em centros médicos 56% dos homens que se consultaram com problemas de ereção tinham relacionamentos fora do parceiro habitual. De todos eles, 38% fizeram o que é chamado de experiência empírica de potência sexual, ao falhar em casa, o paciente faz um “teste” fora de casa para saber se a disfunção erétil se deve a problemas com o parceiro estável ou não.

Um “teste” que não resolve nada

Assim, longe de resolver o problema, na maioria das vezes que “a experiência empírica” ​​não faz nada, só tornar clara a gravidade do caso. As estatísticas dizem que 90% dos casos, o problema é fonte orgânico, e 10% é psicológico e é claro que uma mudança de parceiro ou escopo não pode resolver um problema de origem orgânica.

Agora, o que significa é quer dizer problema é orgânico? Basicamente, os fatores que afetam a função erétil também afetam a vida e a saúde em geral, são doenças cardiovasculares, tabagismo, patologias prévias como diabetes, hipertensão, excesso de colesterol, sedentarismo, alimentação pobre e quase nunca encontrar um paciente com mais de 45 anos de idade que não tenha nenhuma dessas causas concomitantes.

O “fantasma da impotência” é tal que a maioria dos homens sofre em silêncio e nem ousa chamar as coisas pelos seus nomes.

Portanto, não há solução “mágica” para problemas de ereção e o que a pessoa deve fazer é consultar o mais rápido possível um centro especializado no atendimento de patologias sexuais, porque cada paciente é diferente, a primeira coisa a fazer é avaliar os antecedentes, fazer um diagnóstico adequado e dar a cada um deles um tratamento específico.

A automedicação também é muito comum com a famosa “pílula azul” e outras similares. Além de nem todos dar resultados, é um grande risco se automedicar, levando em conta os fatores de risco por trás da maioria de casos de disfunção erétil. Quando há disfunção, o diagnóstico é essencial.

Tabus, desculpas e fatores psicológicos

Homens que optam pela experiência fora de sua casa disseram que essa prática acrescentava à sua vida uma nova preocupação: a de adquirir uma doença sexualmente transmissível e transmitir para parceira. No entanto, possíveis sentimentos de culpa, mas de acordo com a experiência clínica, este é um elemento que tem muito pouca influência como causa da disfunção erétil. Há casos em que esta pode ser a causa, mas eles são os menores.

O que pode acontecer é que a suposta “culpa” é uma das muitas desculpas que o homem se dá a sentir sua masculinidade questionada.

Disfunção erétil e traição – Qual a relação?
5 (100%) 4 votos