Apesar de ser uma questão muito falada por acometer pessoas mais velhas, as disfunções eréteis também podem ocorrem com os jovens, na idade da adolescência ou ainda com os jovens adultos, homens com menos de 40 anos.

A disfunção erétil, se trata da dificuldade do homem de ter ou de manter uma ereção até o fim da relação sexual, gerando constrangimento e medo de futuras relações.

Vamos entender melhor como essa situação ocorre e as opções para tratamento.

Causas da Disfunção Erétil em jovens

Muitos são os motivos que podem gerar uma disfunção erétil nos jovens, desde problemas relacionados à psique, como questões biológicas, podendo estes serem:

– Realização excessiva de masturbação

Uma prática bastante comum, principalmente pelos adolescentes, é a realização excessiva de masturbação, no momento de descobrimento da sexualidade, bem como por outros fatores como o desenvolvimento de fissura pelo ato.

Ao longo do tempo, esse excesso pode gerar uma série de problemas, tanto psicológicos, como para se conseguir chegar à uma ereção.

– Ansiedade e pressão por desempenho

Muitas vezes, mas do que nos casos dos homens mais velhos, os homens jovens sentem uma maior pressão social e colocam uma maior pressão em si mesmos, com relação ao desempenho sexual, e assim, podem desenvolver problemas de ereção.

– Depressão

Podendo ser desenvolvido por uma série de fatores psicossociais, mas também pode ser gerado pela própria ansiedade e pela pressão do homem em relação ao desempenho sexual.

– Questões biológicos

O pênis, se trata de um órgão, assim como tantos outros em nosso organismo. E por isso, pode sofrer de males naturais.

No caso deste órgão, em especifico, uma causa para a disfunção erétil, biologicamente falando, é o rompimento de um vaso peniano, ou seja, um derrame de uma veia, sendo por isso, importante que seja realizado os exames com o profissional habilitado, exames estes necessários para se identificar se a disfunção erétil não se trata de uma questão biológica do organismo, para que se tenha o devido tratamento.

Tipos de disfunção erétil

As disfunções eréteis podem ser de graus diversos, por isso caso você esteja passando por esse tipo de problema, é importante consultar um médico, pois a disfunção pode ser de grau leve, médio ou moderado e ainda, o mais gravoso, a disfunção severa.

Disfunção erétil jovens tratamento

Primeiramente, se você suspeita que encontra-se sofrendo deste mal, é necessário consultar um médico, pois apenas um urologista pode oferecer o diagnóstico adequado para cada caso.

No mercado, é possível encontrar diversos tratamentos paliativos, por exemplo, o conhecido Viagra, ou similares, que se trata de um comprimido amplamente conhecido que promete resolver esse problema nas relações sexuais, o por isso fica o alerta: Não é recomendável o uso, sem prescrição médica desses comprimidos, que podem gerar uma série dos mais diversos problemas de saúde em consequência.

Após a consulta ao médico, há diversos tratamentos disponíveis, como:

Uso de medicação injetável (injeção intra-cavernosa)

Um tratamento que pode ser bastante doloroso, mas que pode surgir efeito é o uso de injeções medicamentosas, que atuam diretamente no órgão genital, mas que precisam de recomendação médica para serem utilizadas, bem como, possui especificidades em sua aplicação.

Medicação Oral

Para o tratamento da disfunção, nos casos menos gravosos, recomenda-se o uso de medicação oral vasodilatadora. Ou seja, auxilia o processo de vaso dilação do pênis, permitindo assim que o homem possa ter uma ereção, e que esta seja prolongada.

O uso de medicação oral pode resolver a situação, mas em casos mais graves, ao longo do tempo, perder o efeito desejado.

Terapia

Caso não seja identificado nenhuma causa biológica para a disfunção erétil, e se tratar de problemas psicológicos a sua causa, é interessante que seja procurado um terapeuta, principalmente os psicólogos, que estão ali para tratar dos males da mente.

O que a gente pensa, e sente, sobre a vida, afeta diretamente nossos órgãos, causando limitações e dos mais diversos problemas de saúde.

Um desses problemas, sem dúvida alguma, pode ser a disfunção erétil.

Às vezes, consultado um profissional da área, o homem pode falar das suas questões internas, causando assim melhoria nos seus sintomas de disfunção, ou quando se chega à raiz do problema psicológico, pode se ter a cura do problema.

Lembrando-se sempre que se trata de uma questão de tentativa e erro.

Revascularização

Esse tratamento é indicado para aqueles que possuem problemas nas artérias que irrigam o pênis, aumentando a circulação sanguínea naquela região.

Se trata de um tratamento para poucas pessoas que são acometidas pelo mal da disfunção, e por isso é necessário que cada caso seja bem avaliado, já que por se tratar de um órgão que permanece grande parte do dia a dia sem ereção, pode gerar obstrução na circulação sanguínea do pênis, gerando problemas futuros.

Implante

Em último caso, existe, atualmente no mercado, a possibilidade de uma cirurgia, onde se é colocado um implante de bombeamento.

Esse implante, se trata de dois tubos plásticos colocados cirurgicamente dentro do pênis, ligados a uma bolsa de soro que fica alojada dentro do estômago.

Fica escondido embaixo do saco escrotal, e antes do sexo, o usuário precisa bombear até alcançar a ereção, sendo que esta pode durar toda a relação sexual, tendo normalmente a ejaculação.

Se trata de um procedimento irreversível, por isso, deve ser bem analisado e discutido com os profissionais da área antes de decidir por este tratamento em especial.

Demais cuidados que podem ser realizados

Um fator que pode auxiliar na resolução ou melhoria do problema apresentado, é não fumar, pois comprovadamente o cigarro é capaz de provocar problemas de ereção por uma série de fatores.

Por isso, o abandono do cigarro, assim como uma vida com os demais hábitos saudáveis, como a realização regular de atividade física e alimentação balanceada, são meios paliativos de prevenir ou melhor a condição da pessoa que sofre da disfunção erétil.

Ainda, como último alerta, recomenda-se a consulta ao médico regularmente, pois independente da idade, a disfunção erétil pode indicar problemas cardíacos.