Dentro dos múltiplos perfis de homens com problemas de ereção que são encontrados em clinicas estão os casos derivados da apresentação de Fuga Venosa foram historicamente encontrados entre os mais complexos para identificar e tratar por sua natureza. Felizmente, os avanços técnicos de última geração representam uma revolução no diagnóstico e tratamento desta doença

O que é e porque ocorre a Fuga Venosa?

Pacientes que sofrem de impotência masculina (ou disfunção erétil) podem ser separados em quatro grandes grupos, dependendo da natureza que a causa: psicológica, hormonal, farmacológica ou vascular. A Fuga venoso, embora possa ter origem multifatorial, corresponde principalmente a esse último grupo, pois é descrito acima de tudo como um problema fisiológico. Estas são, por vezes, casos muito emocionais, porque se fala que um jovem de cerca de 23 anos pode ter uma disfunção erétil fuga venosa grave, o que torna impossível manter uma vida sexual normal.

Para entender o que é essa doença e por que ela aparece, primeiro devemos lembrar como o organismo do homem faz o pênis iniciar e manter uma ereção. A explicação é bastante técnica, por isso será tentado expressar brevemente com palavras comuns.

Uma vez que a excitação sexual é produzida por estímulos visuais, táteis ou sonoros, os sistemas nervoso e circulatório aumentam sua atividade. Os vasos sanguíneos transportam o sangue para todas as partes do pênis e dos chamados espaços sinusoidais que atuam como porta para “espremer” as veias e assim a manter a dureza ereção. É neste ponto que em alguns homens tem o Fuga Venosa ou fracasso oclusivo corporocaudal veno-mecanismo que ocorre quando estas áreas periféricas não se fecham adequadamente, perdendo a ereção parcial ou completamente, porque o sangue escapa por razões físicas (não de excitação) e não contribui para a rigidez que é a ereção do pênis.

Causa disfunção erétil fuga venosa

Este tipo de problemas de ereção pode ser devido a várias causas diferentes (ou combinadas nos casos menos frequentes:

Pode ser apresentado por nascimento (de origem congênita)

Tendo sofrido um golpe severo ou trauma

Várias patologias que podem afetar o sistema circulatório

O uso abusivo de extensores penianos sem supervisão médica ou a má execução de exercícios de manipulação peniana como as técnicas sempre perigosas de Jelquing

Diagnóstico da Fuga Venosa

Se você sofre de Fuga Venosa e navega na Internet em busca de informações sobre as possíveis soluções para essa patologia, provavelmente terá um sentimento agridoce. Tradicionalmente não tem sido fácil lidar com isso.

A principal falha disso tem sido o sistema de diagnóstico que tem sido usado até o momento, insuficiente para identificar exatamente quais vasos sanguíneos são afetados em face de uma possível intervenção cirúrgica. Nos últimos anos, no entanto, esta tendência mudou, de tal forma que, as intervenções cirúrgicas aumentaram em mais de 60%.

Nas primeiras consultas, a chamada ultrassonografia com Doppler continua a ser uma ferramenta simples e barata para identificar, em primeira instância, se existe uma probabilidade dessa doença.

Normalmente, ao fazer uma estimativa aproximada, 30% das pessoas podem se beneficiar da cirurgia, seja para resolver completamente a patologia, como atrasar a chegada da prótese peniana e, ao mesmo tempo, reter a própria ereção.

Com um procedimento cirúrgico o disfunção erétil fuga venosa. .não é doloroso, é relativamente rápido (entre 20 e 40 minutos) e não tem internação hospitalar. O homem é capaz de diagnosticar efusão em todos os tipos de vazamentos venosos (veia dorsal profunda, dorsal superficial ou maciça).

Tratamento e soluções para a Fuga Venosa

A solução para esta patologia é principalmente duas:

– Se a cirurgia for planejada de maneira simples, segura e que retorne a capacidade de manter uma ereção com relativa segurança (ou totalmente), optamos por isso.

– Se é percebido na Angiografia por que existem muitos vasos danificados, ou que aqueles que se identificam são severamente afetados, então apostam na prótese peniana para que o paciente possa recuperar definitivamente sua vida sexual o mais rápido possível, sem a precisa passar pela sala de cirurgia várias vezes.

O tratamento cirúrgico da fuga venosa, se possível, é consideravelmente mais barato do que o implante peniano, porque neste último que precisa para satisfazer o custo do material. Em qualquer caso, o principal objetivo é sempre devolver ao paciente à sua ereção, portanto, na realidade, não é uma questão de preço ou orçamento, mas a adequação marcada pela indicação médica.

Disfunção erétil fuga venosa – tem cura? Quais são as opções?
4.8 (96%) 10 votos