A dificuldade em desenvolver uma ereção é conhecida como disfunção erétil. Na maioria a chance de cura é total, basta saber qual especialista consultar.

Disfunção erétil medico procurar?

Problemas de ereção aceitam tratamento que são tratáveis e cuja solução pode variar entre diversos tratamentos disponíveis atualmente. Basta saber no caso Disfunção erétil medico procurar.

Clínico geral

Ele tem o direito de prescrever tratamento, mas nem sempre é o melhor informado sobre o assunto e “ainda tem muitos preconceitos”. Se o clínico geral não se sente capaz de tratar a disfunção erétil, ou se, após os primeiros resultados, ele sentir que são necessários mais testes, ele pode encaminhar o paciente a um especialista.

Especialistas

O endocrinologista: especialista do sistema hormonal. Em caso de doenças das glândulas, inclusive testículos: hipogonadismo (insuficiência de substância segreda de hormônios masculinos).

O neurologista: especialista do sistema nervoso. Um ataque dos centros nervosos da medula espinhal ou nervos também causa disfunção erétil. Seção da medula espinhal em um acidente, seção do nervo eretor durante a cirurgia da próstata, bexiga ou reto, má condução: esclerose múltipla ou neuropatias causadas por doenças como diabetes, alcoolismo, etc…

O urologista: especialista em doenças relacionadas a órgãos e trato genito-urinário: rim, uretra, bexiga, testículos, próstata, etc.

O andrologista: versão masculina do ginecologista, ele é especialista no trato genital do homem. Urologistas geralmente se especializam em andrologia ou ginecologia. Andrologia é uma disciplina recente que suporta várias doenças do sexo masculino como disfunção eréctil, distúrbios da ejaculação (como a ejaculação precoce), a andropausa (menopausa masculina) ou infertilidade masculina.

O psiquiatra ou psicólogo: algumas disfunções eréteis são apenas de origem psicológica. Este é o caso quando o homem mantém ereções noturnas e matinais espontâneas, mas ele não consegue uma ereção com a parceira.

O sexólogo: o médico sexólogo, se ele é competente, tem a distinção de ter uma abordagem física e psicológica do problema. Mas deve-se aprender a escolher o certo.

O melhor especialista vai depender de como os problemas de ereção se originam.

Os problemas de ereção é um tema comum para seus pacientes

Para pacientes com doença da próstata, não é a doença em si que causa a disfunção erétil, mas os tratamentos (cirurgia, radioterapia) que podem atingir os nervos e vasos envolvidos no mecanismo da doença. Dito isto, outros fatores, como diabetes ou problemas cardiovasculares, também podem causar essas falhas. Em todos esses casos, os tratamentos serão adaptados e diferentes.

Como esses distúrbios sexuais se apresentam

Segundo médicos pode se ter disfunção erétil completa ou disfunção erétil mais ou menos grave. Além disso, muitas vezes há ausência de ejaculação e retração do pênis. Todos esses fenômenos estão ligados e muitas vezes penalizam a vida sexual do paciente.

Disfunção erétil e orientação médica

O primeiro objetivo do médico é ajudar o paciente a entender o que está acontecendo com eles e torná-lo mais consciente de que é essencial implementar os tratamentos o mais rápido possível, especialmente depois de uma operação a próstata, por exemplo.

Por quanto tempo se recomenda esse acompanhamento

Varia. Conforme o caso após uma prostatectomia, recomenda-se de 1 a 3 meses após o procedimento. Isso deve ser feito o mais cedo possível. No caso de uma deficiência que não levou a uma operação, quanto mais cedo lidar com ela, maiores serão as chances de encontrar a habilidade de ereção de volta.

Diferentes tratamentos farmacêuticos disponíveis para tratar essasdisfunções eréteis

Dependendo do caso e do que sabe do paciente, o médico tenta o método mais suave para aumentar gradualmente até os métodos mais fortes.

As medicações como Viagra, Cialis, Spedra ou Levitra, que são facilitadores de ereção, mas que não funcionam para pessoas cujos nervos foram totalmente alterados após uma operação da próstata. É o tratamento menos invasivo e melhor tolerado.

Os cremes que são aplicado na carne uretral no pênis e que irá criar a ereção. Esta nova molécula foi descoberta recentemente. São recentes deve aguardar resultados.

Injeções intra-cavernosas que consistem em inserir no pênis um produto capaz de causar ereção

A desvantagem é fazer com que o paciente aceite “furar” o pênis e a possível dor até que tenha encontrado a dose certa, além do risco de causar uma ereção muito aguda e, portanto, dolorosa.

Implante peniano, soluções extremas

Existem também as chamadas soluções mecânicas. Quais são eles e em quais casos você os recomenda?

Se os primeiros métodos não funcionam ou não são suficientes, o médico então propõe ao paciente:

O Vácuo, uma bomba que é colocada no pênis e que é para sugar o sangue para criar a ereção. Um elástico é colocado na base do pênis para manter a ereção no tempo desejado.

O implante peniano, que envolve implantar no pênis uma prótese que pode ser acionada sob demanda para inflar ou retornar ao estado de repouso. Esse ato pode parecer assustador, mas não diminui o prazer e o orgasmo, pois simplesmente o fenômeno mecânico que permite a penetração.

Para superar problemas de ereção, o implante peniano é por vezes recomendado.

Problema sexual, não espere para consultar seu médico

Por natureza, o pênis é ereto várias vezes ao dia, geralmente por reflexo e é isso que contribui para o seu bom funcionamento, pois promove a oxigenação. Se por razões de disfunção, essa oxigenação não for mais realizada, existe um alto risco de retração que causa um encurtamento do membro. Daí a importância da reabilitação erétil rápida para limitar esses fenômenos, especialmente após a cirurgia.

O medo do tratamento, a falta de conhecimento dessas soluções, a dificuldade de falar sobre eles são muitas vezes obstáculos.

Soluções comprovadas para melhorar a questão nos novos tratamentos está sendo estudado e já mostra novos avanços nos problemas de ereção. Um tratamento com sessões de ultrassonografia no pênis. Eles trabalham estimulando a micro vascularização do pênis e podem permitir que os pacientes encontrem ereções naturais. Este tratamento, se provado eficaz, pode tratar muitos casos de distúrbios leves a moderados (ereção suave ou irregular). Coloca-se muita esperança neste processo inovador. Tenha cuidado isso só afetará os pacientes que não foram submetidos à cirurgia de próstata.