Até recentemente, a disfunção erétil era uma das complicações mais negligenciadas do diabetes. No passado, acreditava-se que o declínio da função sexual masculina era uma consequência inevitável da velhice ou era causado por problemas emocionais. Esse equívoco, combinado com a natural relutância dos homens em falar sobre seus problemas de ereção, resultou na incapacidade de abordar esse problema diretamente com a maioria dos pacientes que o experimentam. A situação é complicada, adicionando a isso a questão dos diabetes.

Felizmente, o conhecimento da disfunção erétil como complicação principal e comum do diabetes aumentou nos últimos anos. Estudos indicam que a sua prevalência em homens que vivem com diabetes varia entre 35-75% contra 26% na população geral. O aparecimento de problemas de ereção também ocorre entre 10 e 15 anos antes em homens com diabetes do que em pessoas sem essa condição.

A maioria dos homens, em um momento ou outro durante suas vidas, experimentam fracassos sexuais, sejam eles periódicos ou isolados. No entanto, o termo impotente é reservado para aqueles que experimentam falha erétil durante uma tentativa de coito mais em 75% do tempo.

Glicose disfunção erétil: qual relação?

Se a pessoa já tem um diagnóstico de diabetes, ela deve manter seus níveis de glicose controlados com ajuda do médico e profissionais de saúde. Depois de tratar sua disfunção erétil de maneira especializada com um urologista. Em outros casos, o paciente descobre que tem diabetes quando vai ao médico por apresentar disfunção erétil. Em ambas as situações, o ponto central é manter os níveis de glicose no sangue controlados para evitar complicações glicose disfunção erétil.

A função sexual masculina normal requer uma interação complexa de sistemas vasculares, neurológicos, hormonais e psicológicos. Mecanismos vasculares são os mais envolvidos em pessoas que vivem com diabetes, porque se a glicemia não estiver em níveis adequados, reduz a irrigação no membro, essencial para manter uma ereção, porque a densidade do sangue é muito alta e pesado pelo excesso de glicose com o tempo o calibre dos vasos sanguíneos se estreita. Essa complicação se manifesta gradualmente, isto é, não acontece da noite para o dia.

Como é feito o controle a glicose

Para o cuidado do diabetes e ter uma melhor qualidade de vida, evitando todos os tipos de complicações relacionadas a esta condição. A administração de insulina é o tratamento ideal para o controle da glicemia. Estudos científicos têm mostrado que, para benefícios completos deve ser aplicado sob uma técnica de injeção correta, isto é, utilizando as mais curtas e ultrafinas agulhas que existem para alcançar apenas o tecido subcutâneo é onde a insulina funciona melhor: de 6 mm em seringas convencionais e 4 mm em dispositivos do tipo caneta.

Cuidar dos níveis de glicose e peso previne disfunção erétil em diabéticos

Cuidar dos níveis de glicose e manter o peso adequado é importante para evitar consequências como a disfunção erétil em diabéticos, condição que afeta metade dos pacientes em todo o mundo.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) em todo o mundo, 50% dos pacientes diabéticos são afetados com disfunção erétil associada às complicações da doença. Detectar ereções de má qualidade ou perdê-las ao fazer sexo pode ser sintoma da presença de diabetes em uma pessoa.

Os especialistas dizem que a disfunção erétil pode levar a pessoa a ter problemas nas relações familiares, estabilidade emocional, trabalho e levar à depressão.

Por essa razão, deve-se destacar que é importante identificar a origem da disfunção e canalizar o paciente com um especialista, como um psiquiatra, porque às vezes é necessário deixar um estado depressivo.

Por fim, ele enfatiza-se que quando um paciente tem controle adequado de glicose e faz exercícios, ele também tem uma chance menor de apresentar sintomas de disfunção.

Inicialmente, atividades físicas são medidas preventivas que ajudarão a reduzir o risco de se desenvolver disfunção erétil. Tem sido demonstrado que melhorar o controle glicêmico e hipertensão, parar de fumar e reduzir o consumo excessivo de álcool beneficia pacientes que têm disfunção erétil. Viver uma sexualidade saudável é dever de todos.

A redução drástica do consumo de gorduras insalubres, açúcar e carboidratos no geral é a melhor solução para o diabético se tornar uma pessoa saudável.

Glicose disfunção erétil: Evite a impotência controlando níveis de glicose
4.8 (95%) 4 voto[s]