Os problemas de ereção são comuns. Isso é um fato. Tanto que todos os homens, independente de sua faixa etária, irão enfrentar um dia dificuldades para manter uma ereção e satisfazer seus parceiros ou a si mesmos.

O que muda aqui é quando os problemas de ereção acabam prejudicando a qualidade de vida de um homem, seus relacionamentos e mexendo com sua autoestima, fazendo com que ele se afaste de amigos, da família ou até mesmo da pessoa amada por medo de que alguém descubra o seu segredo.

Por isso, é extremamente importante aprender como lidar com os problemas de ereção e entender quando eles deixam de ser algo comum e normal e passam a ser uma questão delicada e para a qual é preciso buscar ajuda médica, independente da vergonha que muitos homens possam sentir.

Para ajudar aqueles que estão lidando com essa situação não sabem como agir, preparamos um texto para mostrar que os problemas de ereção são comuns, tem tratamento e é plenamente possível lidar com eles sem prejudicar sua vida ou seus relacionamentos.

Os problemas de ereção são comuns?

Conforme dissemos logo na abertura deste texto, os problemas de ereção são comuns. Isso é algo que não podemos negar. Aliás, nós e as estatísticas podem afirmar isso com toda a segurança.

Para que vocês tenham uma ideia do alcance que esse tipo de problema tem no universo masculino, de todos os espécimes humanos nascidos com esse sexo, em todo o mundo, aproximadamente 155 milhões de pessoas sofrem deste problema.

No Brasil, o número também é expressivo: são cerca de 10 milhões de pessoas acima dos 18 anos. A boa notícia aqui é que, apesar de ser um número bem grande, o percentual dos que enfrentam problemas de ereção bem sérios é muito pequeno, de apenas 10%.

Isso significa que, para os outros 90%, lidar com toda essa questão é mais fácil, e impõe menos desgaste para os seus companheiros.

Esse número, no entanto, mostra outro ponto importante antes de aprender como lidar com a questão: como reconhecer os fatores de risco para que os problemas de ereção apareçam. Você sabe quais são? Confira abaixo.

Fatores de risco para o aparecimento de problemas de ereção

Assim como todas as doenças que afetam tanto o corpo quanto a mente, os problemas de ereção têm alguns fatores de risco que favorecem seu aparecimento. Esses fatores envolvem tanto enfermidades como posturas de vida, como contaremos melhor a seguir.

Diabetes

A diabetes é uma das doenças crônicas que, quando não controlada, contribui para o aparecimento dos problemas de ereção, por causa de sua ação sobre os vasos sanguíneos.

O excesso de açúcar no sangue, que caracteriza essa doença, tende a endurecer os vasos sanguíneos, desencadeando doenças cardiovasculares. Essas enfermidades provocadas pelo diabetes dificultam a passagem de sangue.

Com o órgão sexual menos irrigado, atingir uma ereção ou mesmo sustentar uma por tempo suficiente para que os dois se satisfaçam se torna muito difícil.

Hipertensão arterial

A hipertensão arterial, ou pressão alta, também é outra das doenças crônicas que prejudica o desempenho sexual. Como o coração precisa fazer mais força para bombear sangue ao corpo, algumas partes podem receber menos sangue. Uma delas é, justamente, o órgão sexual masculino. O efeito você já sabe qual é.

Dislipidemia

O descontrole nas taxas de colesterol e triglicérides é outro vilão para o desempenho impecável de um homem na cama, principalmente se ele já passou dos 40.

Isso porque, quanto mais gordura você tive circulando em sua corrente sanguínea, maiores as chances de que elas se depositem nas paredes de veias e artérias, diminuindo o diâmetro disponível para que o sangue circule. Menos sangue circulando, mais difícil será atingir uma ereção.

Tabagismo

Sabe aquele clichê, de acender um cigarro depois de uma relação sexual? Esqueça, se você quiser continuar mantendo transas inesquecíveis. As substâncias presentes no cigarro alteram seu corpo e prejudicam a capacidade do órgão sexual se manter ereto, porque ele endurece as artérias, levando menos sangue até ele.

Sedentarismo

O sedentarismo é outros dos fatores de risco que muitas pessoas desprezam, mas que deve ser observado com cuidado para quem está enfrentando problemas de ereção. Ao não praticar exercícios físicos, você compromete todo o bom funcionamento de seu corpo, prejudicando também a circulação de sangue e sua oxigenação.

Como lidar com problemas de ereção

Agora que você conhece os fatores de risco que podem provocar os problemas de ereção, é preciso aprender a como lidar com a questão, caso ela já esteja instalada ou você esteja ainda buscando uma solução para isso.

Faça exercícios físicos

Uma das formas de lidar com os problemas de ereção é deixar o sedentarismo de lado e se exercitar. Em muitos casos, essa dificuldade está relacionada a problemas como a hipertensão arterial e a problemas de circulação sanguínea.

Então, quando você passa a se exercitar com maior frequência, ajuda a combater esses problemas, melhorando seu desempenho sexual. Quer um estímulo maior? Os homens que adotaram os exercícios e passaram a fazer 30 minutos de caminhada todos os dias viram a chance de sofrer com impotência cair em 40%.

Mantenha uma dieta saudável

A obesidade é outro dos fatores de risco que contribuem para o aparecimento dos problemas de ereção. Então, uma das formas de lidar com isso é comendo de maneira mais saudável.

Priorize a ingestão de frutas e verduras e deixe de lados as frituras, o excesso de doces, as gorduras e também o excesso de álcool. Com essas mudanças simples, você verá como seu corpo funcionará muito melhor, e sua disposição dará um verdadeiro salto.

Abandone o cigarro

Fumar não faz bem para nenhum órgão de seu corpo. Então, porque deveria ser diferente no caso do seu parceiro? Como já mostramos aqui, os componentes do cigarro endurecem os vasos sanguíneos, impedindo uma boa irrigação do órgão sexual.

Então, como você conhece os efeitos que fumar tem sobre o seu desempenho sexual, que tal parar agora mesmo? Com poucas semanas você já vai se sentir outra pessoa.